...
...

Como pesquisar um artigo científico pago?

 

O conhecimento científico deveria estar disponível para todos, independentemente de sua renda, classe social ou localização geográfica “

Uma das maiores plataformas que disponibiliza mais de 45 milhões de artigos de graça! Já pensou em ter acessos aos artigos das melhores revistas cientificas do mundo? Hoje, uso plataforma semanalmente para pesquisas de artigos cientificos que estão bloqueados ou pagos, e uma grande parcelas destes são acessado pelo SCHI HUB.

Alexandra Elbakyan, a cazaque que fundou o Sci-Hub, tem 28 anos. Ela conta ter fundado a página depois de, em 2009, ao fazer sua tese de mestrado – ela é formada em informática -, ter se deparado com artigos que precisava ler, mas que custavam até US$ 40. Dois anos depois, ela criou o site. O Sci-Hub surgiu então com a missão declarada de acabar com os direitos autorais de artigos científicos. “Lutamos contra a desigualdade de conhecimento no mundo todo.

Como pesquisar um artigo científico pago? Você terá essa resposta até o final desse texto.

O conhecimento científico deveria estar disponível para todos, independentemente de sua renda, classe social ou localização geográfica. Advogamos pelo cancelamento da propriedade intelectual, ou das leis de copyright, para propósitos científicos e educacionais”, lê-se em um trecho do manifesto do Sci-Hub. Na internet, Elbakyan é muitas vezes comparada a Aaron Swartz, ativista pela livre difusão de conhecimento, morto em 2013, quando respondia a um processo milionário por ter disponibilizado milhões de artigos científicos usando a rede do MIT (Massachussets Institute of Technology). Assim como Swartz, Elbakyan defende a abolição de direitos autorais para conhecimento científico e educacional. Mas ela também é comparada a um personagem da cultura popular. Em entrevista ao site “Vox”, em 2016, Elbakyan ao responder sobre o fato de ser vista como um “Robin Hood da ciência”, nuança a ideia: “Cópia de informação é diferente (…) copiar não é o mesmo que roubar, porque o dono não perde sua posse”, diz ela. “Mas se o princípio por trás de Robin Hood é justiça social, então, sim, eu concordo [em ser chamada de Robin Hood]”.

Um dos principais argumentos na defesa do Sci-Hub, usado por Elbakyan na carta que escreveu à corte americana depois do primeiro processo que sofreu em 2015, é que os cientistas não ganham dinheiro das editoras como a Elsevier para publicar nem pelo acesso aos artigos – pelo contrário, muitas vezes cientistas pagam a elas, para cobrir os custos das revistas. Além disso, muitas das pesquisas que vão parar nas revistas são financiadas com dinheiro público.

Assim, Elbakyan diferencia sua militância da pirataria de conteúdo de entretenimento. Hoje, os maiores acessos de downloads é da Europa, mas bem poderia ser o brasil né?

Newsletter

Assine nossa newsletter para receber conteúdos exclusivos da Nova Medicina