...
...

O Brasil está lotado de médicos ?” vamos mostrar os principais pontos da densidade demografia da área médica, assim como pontos essenciais para futuro da profissão do Brasil.Velocidade de Crescimento

O Número de médicos cresceu 5x a mais que o número da população em 100 anos. Mesmo com essa quantidade de mais de 500mil médicos ainda temos locais com densidade demográfica menor que 0,5 para cada mil habitantes e vagas de residências médicas ociosas.

As linhas expressam a porcentagem de crescimento sobre o quinquênio anterior. Por exemplo, em 2010, o crescimento do número de médicos em relação ao quinquênio 2005-2010 foi de 15%. Já o aumento da população neste mesmo período foi de 6%”

O registro médico

É de suma importância sabe quer o  tempo de formação para obtenção do título de especialista varia de dois a cinco anos. Não são reconhecidas especialidades médicas com tempo de formação inferior a dois anos. Os Conselhos Regionais de Medicina (CRMs) registram apenas títulos de especialista reconhecidos e mediante documentação/certificação oficial da CNRM ou da AMB.

Recentemente fizemos um post com informações que é não é permitido o médico fazer marketing ou informar uma especialidade que ele não possui. Por que ?

Desde 2010 é vedado ao médico: “anunciar títulos científicos que não possa comprovar e especialidade ou área de atuação para a qual não esteja qualificado e registrado no Conselho Regional de Medicina

Médicos no Brasil

Hoje, observamos a maior razão médicos por habitantes registrada no Pais com 2,34 médicos para cada mil habitantes. Quando lemos isso, pensamos  ” Meu Deus agora vai faltar emprego”, mas não é bem assim, pois no Brasil temos uma grande concentração nas capitais.

Os dados apurados pelo CFM/USP em 2020 são revelados em meio à maior crise da saúde mundial com a pandemia do novo coronavírus.

Medicina com mais mulheres

Observamos um rápido crescimento de mulheres, e de jovens até 29 anos representa cerca de 58%. O estudo confirma que os homens representavam 53,4% da população de médicos e as mulheres, 46,6%. O mesmo estudo realizado há 6 anos em  2015, médicos homens somavam 57,5% do total, e as médicas, 42,5%. Trinta anos atrás, em 1990, as mulheres eram 30,8%.

Concentração de Especialidades

O estudo densidade demográfica médica confirma que as especialidades com maior número de especialistas são Clínica Médica (11,3% do total de especialistas), Pediatria (10,1%), Cirurgia Geral (8,9%) e Ginecologia e Obstetrícia (7,7%), provavelmente porque as mesmas são especialidade de pré-requisitos.Anualmente observamos aumentos em procura de determinada especialidade, no estudo, foi observada na área de endoscopia digestiva   um aumento de 400%  em inscritos para residência médica.

Distribuição de Especialistas

Na região Sul, são 2,07 especialistas para cada generalista, enquanto no Nordeste,  essa razão é de 1,25. Em regiões mais pobres e com maior desigualdade social, como o Norte, região com menor contingente de especialistas, há praticamente um especialista para cada generalista.

No Centro-Oeste (razão de 1,75) são influenciados pelo Distrito Federal, principalmente quando pegamos o plano piloto de Brasilia temos a maior concentração de especialistas , que tem 2,52 especialistas para cada generalista, maior concentração de médicos especialistas em todo o país. 

Com esses dados nos pensamos, MEU DEUS! Vou ficar longe desse lugar, mas ai que você se engana, pois pela quantidade de hospitais o mercado é aquecido e com mais vagas, sendo influenciado por bons seguros de saúde e alto poder aquisitivo da população.

O Sudeste tem razão de 1,59 especialista para cada generalista, praticamente a mesma razão do Brasil como um todo, que é de 1,56.

E ai, agora você sabe responder a pergunta ” O Brasil está lotado de médicos?”

No mundo

Brasil está entre os campeões em quantidade de  escola de medicina no Mundo, mas em quantidade de médicos por mil habitantes ainda não.

Entre os anos 2000 e 2010, a Austrália criou nove novas escolas médicas, bem como 17 clínicas a elas associadas em áreas rurais, a mais intensa expansão de ensino médico promovida pelo país. Igualzinho o Brasil né? 

Nos EUA , apesar de a população ter aumentado significantemente entre 1980 e 2005 , não houve aumento do número de escolas médicas ou de vagas de graduação nos cursos de Medicina no mesmo período.

Separamos esse artigo do nosso parceiro e especialista Conta Médica, sobre impostos e CNPJ clica aqui

 O Brasil está lotado de médicos?” temos outra tema que você vai gostar!

Veja esse artigo sobre carreira na área clinica

Segue o artigo original do CFM Clica aqui

Conheça nosso instagram 

Newsletter

Assine nossa newsletter para receber conteúdos exclusivos da Nova Medicina